GEO cria soluções exclusivas para demanda do mercado de seguro

Plataforma digital otimiza distribuição de seguros da Zurich nos setores imobiliário e de construção civil

Identificar demanda do mercado de seguros, desenvolver solução focada na resolução dessa demanda e verificar qual seguradora tem interesse nesta solução e apetite para determinado risco. É isso que faz a companhia GEO, empresa de tecnologia e big data para corretores, que desde 2001 oferece uma plataforma digital única e ponta a ponta que centraliza e organiza todos os serviços necessários para corretores, seguradoras e clientes.

Segundo Rossana Costa, fundadora e diretora da GEO, a companhia pesquisa o mercado por meio de uma base de dados. “Fazemos o estudo, se há entrada e demanda do mercado, realizamos a projeção de venda, desenvolvemos determinado produto de seguros, todo o sistema, a parte técnica, atuarial, jurídica. Com o pacote pronto, procuramos no mercado uma seguradora que seja a garantidora do seguro. E essa companhia com posse deste produto, já protocolado pela Susep e com as notas técnicas, inicia o acordo de parceria com a GEO, com o intuito de disponibilizar esse produto com todo o arcabouço jurídico, comercial e tecnológico para os corretores de seguros que queiram comercializá-lo”.

A solução é personalizada para cada seguradora, de acordo com a executiva. “Criamos uma solução com a melhoria de produtos, estudos e diferenciais, com as demandas que o mercado apresentou. A seguradora ainda tem a opção de fazer esse projeto de forma exclusiva ou ter outras alternativas em seu balcão, de qualquer forma”.

Parcerias

Em 2016, a Zurich, seguradora global com mais de 80 anos de atuação no Brasil, apostou no mercado de seguros imobiliários e de construção civil. A GEO ofereceu suporte combinando a força dos seus 18 anos de experiência no mercado imobiliário e uma plataforma de gestão que pudesse apoiar e otimizar o trabalho dos corretores.
Desde então, o resultado já foi de mais de 2 mil empresas contratantes nos seguros Habitacional – MIP/DFI e DFI, e o estabelecimento de relacionamento com mais de mil corretores ativos na plataforma, formando uma nova carteira de negócios de valor significativo. “O apoio da GEO foi fundamental para o sucesso da parceria, pois resultou em maior segurança para a nossa operação”, afirma Sidemar Spricigo, Diretor Comercial de Bancassurance da Zurich.

As conquistas obtidas até o momento servem também de bússola para as perspectivas do mercado de seguros imobiliários e de construção civil, um mercado promissor e com enorme potencial a ser explorado. “Deve crescer na medida em que a economia alcance maior estabilidade, permitindo o desenvolvimento de ofertas complementares de seguros para atender às necessidades dos segurados ao longo de todo o ciclo de vida”, completa Sidemar.

A GEO já teve parceria com outras companhias como MetLife, Essor e desde 2016, a parceria com a Zurich em um segmento e com a AXA em outro. “Estamos com esse projeto que já triplicou de tamanho em três anos. Uma solução equilibrada, com crescimento vertical para a companhia”, comentou Rossana.

Em relação aos corretores de seguros, Rossana conta que a solução pode ajudá-los, porque o objetivo é trabalhar os planos empresariais e não varejo, como aquelas ferramentas entregues pelas startups. “É por isso que nós entregamos a ele velocidade, contratação com rapidez na ponta, com a apólice em poucos minutos, dependendo do tamanho de sua operação, tarifação transparente via site, com um simulador rápido de preço. A solução também traz a desoneração de um processo que o corretor teria muito trabalho, por ser um produto de commodities”.

Para a GEO, ter a Zurich como parceira nesta jornada, uma das maiores e mais respeitadas seguradoras do mundo, serve como conquista do trabalho que a empresa vem desenvolvendo há quase duas décadas no mercado de seguros. “A empresa sempre buscou desenvolver as melhores ferramentas de gestão de banco de dados de apólices para toda a cadeia securitária, em especial apoiando os corretores em um momento de forte transformação digital como o atual”, conclui Rossana Costa.

 

Fonte: Revista Cobertura