Amazonas, 20 de outubro de 2017

Sobre o DPVAT

O seguro de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Via Terrestre, mais conhecido com Seguro DPVAT, existe desde 1974. É um seguro de caráter social que indeniza vítimas de acidentes de trânsito, sem apuração de culpa, seja motorista, passageiro ou pedestre. O DPVAT oferece coberturas para três naturezas de danos: Morte, Invalidez Permanente e Reembolso de Despesas Médicas e Hospitalares (DAMS). A atual responsável pela administração do Seguro DPVAT é a Seguradora Líder – DPVAT, que tem o objetivo de assegurar à população, em todo território nacional, o acesso aos benefícios do Seguro DPVAT. O pagamento da indenização é feito em conta corrente ou poupança da vítima ou de seus beneficiários, em até 30 dias após apresentação completa da documentação necessária. O valor da indenização é de ate R$ 13.500,00 no caso de Morte e de até R$ 13.500,00 nos casos de Invalidez Permanente, variando conforme o grau de invalidez, e de até R$ 2.700,00 em Reembolso de Despesa Médicas e Hospitalares comprovadas. O prazo para solicitar a indenização por Morte ou Reembolso é de 3 anos a contar da data do acidente, no caso de indenização por Invalidez Permanente este prazo é de 3 anos a contar da ciência da Invalidez Permanente pela vítima. Para dar entrada no pedido de indenização a vítima ou seu beneficiário não precisam de intermediação, o Seguro DPVAT possui diversos pontos de atendimento gratuito espalhados pelo país.

Os recursos do Seguro DPVAT são financiados pelos proprietários de veículos, por meio de pagamento anual. Do total arrecadado, 45% são repassados ao Ministério da Saúde (SUS), para custeio do atendimento médico-hospitalar às vítimas de acidentes de trânsitos em todo país, 5% são repassados ao Ministério das Cidades (DENATRAN), para aplicação exclusiva em programas destinados à prevenção de acidentes de trânsito, os demais 50% são voltados para o pagamento das indenizações e reservas.

Um alerta importante é quanto ao atendimento, pois não há necessidade de intermediários, a própria vítima ou beneficiário pode abrir o processo, e para isso conta com o atendimento gratuito do SINCOR e demais pontos de atendimentos que podem ser acessados pelo site.